sábado, 13 de novembro de 2010

Precisa mudar


















O texto NÃO contém spoilers.

O cidadão brasileiro está acostumado à ir ao cinema para assistir grandes produções norteamericanas que, comparadas aos filmes nacionais, deixam a nossa produção no chão. Porém, todos sabemos da capacidade de criatividade do povo brasileiro, e também do potencial daqueles que se dedicam à fazer algo. Diante disso, o nosso cinema apresenta grandes filmes que não são valorizados pela maioria do público.
Grande parte do público que ir ao cinema para ver ação, tiroteios, brigas, efeitos especiais, enfim, violência. Talvez por isso o "Tropa de Elite" tenha feito tanto sucesso, aumentando ainda mais o prestígio do público no segundo filme. Pronto cheguei ao ponto onde queria.
O primeiro "Tropa de Elite" virou febre porque teve a cópia pirata liberada antes da estreia no cinema, e como tudo que é proibido ou "de graça" é mais gostoso, todos aproveitaram para assistir o filme ilegalmente. Por conta da violência e das denúncias feitas no longa, o povo brasileiro se identificou muito, permitindo ao filme todo esse sucesso.
Com a chegada de "Tropa de Elite 2" as expectativas de lançamento foram crescendo. Primeiro pelo suspense de saber se sairia ou não uma cópia pirata, e depois, todos queriam ver os novos bordões do Capitão Nascimento.
Quem foi assistir esperava "violência dose 2" e se surpreendeu. Claro, houve muito sangue escorrendo, mas o que prevaleceu foi a temática do filme. A denúncia abordada pelo diretor José Padilha foi sensacional. Sorte dele não viver na ditadura, se não já estaria morto há muito tempo.
O que surpreende ainda mais, é o fato de que todos nós que assistimos o filme e aplaudimos de pé os assuntos nele abordados, já sabíamos de tudo aquilo que o filme mostrou. Todo cidadão sabe que existe policial corrupto, político então, nem se fala. Todos sabem da existência das milícias (sim, todos sabem), do poder político, do suborno, enfim, todos sabem da situação que o país vive e quais são os motivos dela - ou pelo menos deveriam saber.
Ao assistir ao filme, você se sente revoltado com aquilo. Aí você vai e elogia o diretor por mostrar isso ao público.. mas a maioria já sabe, inclusive você.
O problema é que quando você sai do cinema, alucinado pela qualidade do filme, e da "ficção realista" que ele mostra, você deixa tudo ali.. aquela euforia toda de raiva pelos errados dura no máximo uma semana. Depois disso, nós voltamos à vida normal, conformados com os problemas e com os causadores dos mesmos.
E é isso que precisa mudar.


- Como prometido, falei do BOPE 2 sem spoilers. O texto era pra ser publicado na sexta, mas houve um atraso. Espero que tenham gostado. Valeu!

Um comentário:

Luiz disse...

Caro escritor deste post!
Você falou muito de mudar este nosso modo!
mas primeiramente lhe faço uma pergunta.O que o senhor faz em relação à isso,quando você saiu do cinema deste determinado filme...depois de uma semana o que o senhor fez?
Você tem que perceber que o povo brasileiro é um povo comodista, apenas palavras bonitas não mudarão nada!
Faça algo para seu país e talvez algo mudará!
abraços