sexta-feira, 1 de outubro de 2010

Telespectador: Quantidade ou Qualidade?




O que vale mais para você: dar risadas de coisas sem sentido como pessoas brigando (BBB), ou ter que exercitar o pensamento e acompanhar um contéudo mais crítico e obejtivo na televisão?
Desde os tempos em que surgiu um "tubo" capaz de fazer com que famílias ficassem presas em suas salas e quartos, até os dias de hoje - onde nada mudou - o homem insiste em acreditar em tudo aquilo que a televisão diz.
Diante de tanto conteúdo e informação, é necessário que haja um filtro, para que somente aquilo que realmente é importante, possa estar fixo no pensamento do telespectador.
No mundo inteiro, milhares de pessoas ganham dinheiro com seus reality shows, vendendo os direitos, fazendo com que, em vários países, todos tenham o mesmo programa, porém, adaptado à cultura de seu povo - o que faz de fato, a audiência. Além desses programas, outros, de jornalismo investigativo, dramático, e principalmente, sensacionalista (sim, o Datena), acabam prendendo milhares de pessoas, que ficam à mercê desses conteúdos. O cidadão chjega em casa e já liga a televisão para saber quantos assaltos ocorreram, quantas mortes, tragédias, enfim, tudo a mesma coisa, todos os dias - infelizmente.
A pergunta que fica é: o que realmente o cidadão pode tirar de concreto desse conteúdo que ele acompanha diariamente?
Já no caso de um programa educativo, ou então, que desperta o pensamento crítico do telespectador, a situação é diferente. Nesses programas, o público é mais específico, tem maior senso crítico.
O que acontece no nosso país é que a população quer ver barraco, e aí assiste a Globo em época de Big Brother. Quer ver as supostas notícias do país, e aí assiste o Jornal Nacional. Quer ver desgraça, e aí assiste o Datena.
Nada contra quem assiste esses programas e eles não devem ser condenados.
A grande questão é que a audiência em conteúdos mais insignificativos, geralmente é bem maior do que aqueles programas que mostram a verdadeira realidade do país, ou pelo menos tentam.
É necessário que o cidadão de uma maneira geral, filtre toda essa carga pesada de conteúdos e informações, extraindo para si apenas aquilo que realmente importa, dando valor ao conteúdo de qualidade.
Enquanto muitas emissoras brigam entre si, não só por questões de audiência, você, cidadão, deve correr atrás da informação inteligente, e mais do que isso, passá-la adiante!
Devemos ter cuidado para que não sejamos os últimos à ter a responsabilidade..

"- Responsabilidade de quê? - A responsabilidade de ter olhos quando os outros perderam" - José Saramago

Eduardo Cunto

Um comentário:

claudio disse...

Bem legal esse post, pois nele contem oq q todo telelspectador deveria ter... que é senso critico e saber absorver as informações uteis e tomar atitudes pra que esse cenário um dia quem sabe mude (eu espero)