quarta-feira, 21 de setembro de 2011

EDITORIAL - Record x Veja: A melhor defesa é o ataque?

*Este editorial não expressa a opinião da equipe de produção do CQC, nem de seus apresentadores e repórteres, da Rede Bandeirantes de Televisão e da Eyeworks-Cuatro Cabezas.

Há 3 semanas, a sociedade brasileira tem assistido e lido mais uma guerra de acusações envolvendo duas das maiores marcas da comunicação do país: a Rede Record e a revista Veja, da Editora Abril.

A revista tem publicado nessas 3 semanas várias matérias trazendo denúncias envolvendo a Igreja Universal, seu líder Edir Macedo e uma possível crise na TV.

Semana passada, a Record entrevistou seu dono na revista eletrônica semanal, no objetivo de responder essas acusações; e ontem a emissora atacou uma matéria de capa da revista, que fala sobre um remédio que pode fazer uma pessoa emagrecer mais de 7 quilos e tal...

Uma ataca em uma semana, outra responde em outra! E a gente fica se perguntando: quem tem razão nessa briga? A Record, realmente, é a atual vice-líder de audiência e vive se fazendo de vítima; porque tem os direitos do Pan e da Olimpíada e, por isso, tem despertado inveja em outros grandes conglomerados (como Globo e Abril). Mas também é verdade que a Record tem sofrido uma queda de audiência muito grande: o setor de novelas não é mais o mesmo depois da saída de Tiago Santiago para o SBT com o sucesso da saga "Mutantes"; a programação da tarde vive em uma constante transformação: entra programa, sai programa. Nem a volta de Datena (por menos de um mês) deu certo. O jornalismo vive cercado de denúncias de ser parcial. E as suas "galinhas dos ovos de ouro" não estão rendendo o esperado: só pra dar um exemplo, o "Legendários", que estreou como uma revolução, já mudou de horário, já foi gravado e a audiência não tem crescido...

A revista Veja, que já foi uma marca respeitada na imprensa, também está passando por uma crise: vários órgãos de imprensa denunciam que a revista tem sido parcial demais em algumas matérias, até mentindo sobre algumas informações e, quando a mentira é descoberta, deixam por isso mesmo e não se retificam. E ainda: certas alianças que a Abril tem feito preocupam jornalistas.

Quem estaria ganhando com essa briga? Com certeza, não é a população; porque essa guerra não agrada a população em geral.

Será mesmo que a melhor defesa é o ataque? Nisso a Record é craque: já atacou a Globo, atacou a Veja, atacou a RedeTV! (indiretamente) no último domingo...

Onde fica a credibilidade destes veículos? Dá pra acreditar em tudo que a Record e a Veja divulgam? Até quando o Brasil vai assistir essa troca de acusações que não levam à nada?

Globo, SBT, Band, IstoÉ e Época agradecem essa "forcinha" desses dois veículos de comunicação.

ESTA É A OPINIÃO DO MUNDO CQC.

Um comentário:

monicaiozzinews disse...

Oi Renato.

Existe um partido cuja sigla se chama PIG - "Partido da Imprensa Golpista" cunhado pelo excelente jornalista Paulo Henrique Amorim em seu blog:

http://www.conversaafiada.com.br/

O PIG compreende a Globo, a revista Veja e os jornais Folha de São Paulo e Estado de São Paulo.

Recomendo também ler os blogs do Luiz Carlos Azenha

http://www.viomundo.com.br/

do Rodrigo Vianna

http://www.rodrigovianna.com.br/

e do Luis Nassif

http://www.advivo.com.br/luisnassif

O lance todo entre Veja X Record é que além da parceria entre Veja e Globo alguns jornalistas caso do Paulo Henrique Amorim e do Luiz Carlos Azenha descem a lenha na Veja e nos outros membros do PIG.

Amigo... A Veja MENTE!

Leia o "Caso Veja" do Luis Nassif

http://sites.google.com/site/luisnassif02/

Bom... eu nunca quis entrar no meu lado político no twitter, até porque sou PTista e não concordo com muita coisa no CQC incluindo algumas matérias da Monica.

Lembra-se quando ela chegou a beijar o Serra.

Amigo... PSDB do Serra, Aécio e FHC é atraso, é entreguismo (com as privatizações)

Se o Serra virasse presidente, seria um desastre para o país.

Sabe o problema que vc teve com a péssima Telefônica e que vc ficou 2 semanas sem Internet?

Aquilo é o que a mídia não te conta, a chamada privatização corrupta do setor telefônico feita pelo FHC quando ele foi presidente.

Tem muita coisa podre no estado de São Paulo que acontece como problemas no Metrô (péssimo), o Rodoanel com coisas superfaturadas, a Sabesp e aquelas conhecidíssimas enchentes que a Mídia não te conta.

Sabe porquê, porque o PSDB/DEM que governa o estado de SP por 17 anos, fará 20 em 2014 comprou a mídia.

A Record é diferente... não faz parte do PIG e estas denúncias da Igreja Universal são antigas, são requentadas.

Abraços []'s Gustavo Pamplona